Escultura

Conforme denominado pelos gregos no século XVII, a escultura é uma das artes clássicas, junto com a pintura, a música, a literatura, a dança e a arquitetura. A escultura representa ou ilustra imagens plásticas em relevo total ou parcial. Pode ser realizada nos mais diversos tipos de material e com distintas técnicas de execução.

TÉCNICAS DE ESCULTURA

Para produzir uma escultura, o artista pode utilizar técnicas e materiais variados. Na história da escultura, as obras que apresentam maior durabilidade foram as criadas por elementos perenes, como o mármore, o granito, o ouro, a prata e o bronze. No geral, é o tipo de material escolhido que irá definir a técnica empregada pelo artista para a confecção da escultura. De acordo com o Glossário de técnicas artísticas da UFRGS, as técnicas de cinzelação e entalhe são utilizadas quando o artista retira o que excede do material para construir a figura. Nessa técnica são utilizados materiais duros, como o mármore, granito, calcário, madeira, marfim e âmbar. Já a técnica da fundição é feita quando se verte metal derretido (bronze, ouro, prata, ferro), em um molde feito com outros materiais. Na técnica de moldagem ou modelagem o artista vai adicionando materiais (papel machê, argila, gesso, etc.) para conseguir a forma desejada. Por fim, temos o corte, dobra e solda de chapas metálicas.

1218 ITENS

ESTA CURADORIA CONTA COM ITENS DE DIFERENTES MUSEUS

BUSTOS DE PERSONAGENS

Apesar de poder ser utilizada para fazer qualquer tipo de representação, inclusive abstratas, historicamente o objetivo mais comum das esculturas é representar os seres humanos. Uma das formas escultóricas mais populares para isso são os bustos, um tipo de escultura que representa a figura humana, normalmente contendo a cabeça, o pescoço e uma parte do torso e ombros. Normalmente eles são construídos sobre um apoio ou pedestal. Esse tipo de escultura tem por finalidade recriar a fisionomia do indivíduo, muitas vezes no intuito de homenageá-lo.

O acervo dos museus do Ibram contêm diversas esculturas de personagens históricos, no geral trabalhos realizados em bronze no formato de busto. A popularidade dessa tipologia se deve ao fato de que é um formato que permite retratar as características de uma pessoa com muito menos trabalho e despesas, além de ocupar menos espaço, do que uma estátua de corpo inteiro. Por conta disso, o busto tem sido, desde os tempos antigos, um estilo muito utilizado de escultura. Podem existir em diversos tamanhos e materiais, inclusive para serem instalados em locais públicos, como praças, coretos e halls de entrada de edifícios públicos e privados.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Uma das primeiras esculturas artísticas de que temos notícia é uma estatueta de marfim, datada de aproximadamente 35.000 a 40.000 BP, encontrada na caverna Hohenstein-Stadel na Alemanha. Chamado de Löwenmensch (em alemão: leão humano), a estátua tem cerca de 30 centímetros de altura e retrata uma figura humana com rosto de felino. Outra estátua igualmente importante, do mesmo período, é a Vênus de Schelklingen, que retrata uma figura feminina em mármore e também foi encontrada em uma caverna na Alemanha. Uma característica das esculturas desse período é que elas são pequenas e fáceis de transportar, dada a então natureza nômade dos grupos humanos.

As esculturas foram, com o tempo, se sofisticando tecnicamente. Esse é o caso das esculturas no Egito antigo. As mais conhecidas, são as esculturas monumentais em pedra, como a esfinge. Mas, os egípcios também faziam muitas esculturas usando a

técnica do baixo relevo, que se adapta bem à luz solar muito forte. Na Grécia antiga, por sua vez, as técnicas de técnicas de escultura em mármore levaram a figurações extremamente realistas e sofisticadas, que vão conhecer seu apogeu durante o período helenístico. No continente americano se destacam as esculturas dos povos mesoamericanos, em especial os baixo relevos astecas e maias.


No que se refere a África, a maioria das esculturas foi feita em em madeira e outros materiais orgânicos, e muitas delas não sobreviveram ao passar do tempo. Parte da coleção de esculturas dos museus do Ibram são oriundas do continente africano, em especial as do Museu da Abolição. São trabalhos em madeira e ferro provenientes de países como o Quênia, Guiné e Libéria e Zimbábue.

Figura Feminina Ancestral
Escultura produzida na Guiné

PRINCÍPIO DE UMA ARTE NACIONAL

A produção artística durante o período colonial brasileiro foi amplamente influenciada pela religião católica. O estilo conhecido como Barroco, trazido pelos colonizadores para o Brasil, foi aqui adaptado, adquirindo feições novas e originais e sendo considerado um dos primeiros testemunhos da formação de uma cultura genuinamente brasileira. As esculturas desse período tem um estilo dinâmico, narrativo, ornamental e dramático, auxiliando a difusão da doutrina católica.

SANTOS DE ROCA

Os santos de roca são esculturas religiosas que representam santos em tamanho natural para serem levadas em procissões. Foram muito populares durante o período Barroco até o século XIX. Eram estátuas de grande expressividade plástica, servindo para inflamar os sentidos dos fiéis em direção às coisas celestes. Para isso, tinham membros articulados, olhos de vidro, perucas de cabelos naturais, roupas de tecido e pintura que imitava a carne humana. No acervo dos museus do Ibram encontramos estátuas como essas, além de partes de membros articulados que faziam parte de um conjunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *